quarta-feira, 1 de junho de 2011

A água chia no púcaro que elevo à boca

Fernando Pessoa 
ALBERTO CAEIRO

 

 
A água chia no púcaro que elevo à boca.
«É um som fresco» diz-me quem me dá a bebê-la.
Sorrio. O som é só um som de chiar.
Bebo a água sem ouvir nada com a minha garganta.


"Poemas Inconjuntos".
Poemas Completos de Alberto Caeiro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário